Gilmore e Kanoa vencem o Corona Bali Protected 2019

Kanoa Igarashi conquistou a primeira vitória do Japão no World Surf League Championship Tour e Stephanie Gilmore ganhou sua trigésima etapa com nota 10 na final australiana na Indonésia

O Corona Bali Protected foi encerrado no último dia do seu prazo, com as ondas finalmente aparecendo no sábado com boas condições em Keramas para fechar a terceira etapa do World Surf League Championship Tour 2019 na Indonésia. As quartas de final vinham sendo adiadas desde terça-feira e começaram com o cearense Michael Rodrigues passando para as semifinais pela primeira vez. Mas, o francês Jeremy Flores o derrotou depois, impedindo o bicampeonato do Brasil em Bali. Já Filipe Toledo perdeu para Kelly Slater, barrado nas semifinais pelo japonês Kanoa Igarashi, que festejou sua primeira vitória em etapas do CT para tirar a vice-liderança no ranking do potiguar Italo Ferreira. No feminino, Stephanie Gilmore ganhou a final australiana com Sally Fitzgibbons e assumiu a dianteira na corrida pelo título mundial da temporada.

Igarashi

A heptacampeã mundial surfou um tubaço que valeu a única nota 10 do Corona Bali Protected, para garantir a sua incrível trigésima etapa na carreira. Este era o único resultado possível para Stephanie Gilmore poder tirar a lycra amarela do Jeep Leaderboard da jovem norte-americana Caroline Marks na Indonésia. A cearense Silvana Lima era a única brasileira nas quartas de final e foi barrada pela vice-campeã, Sally Fitzgibbons, no seu retorno às competições depois de quase 8 meses de recuperação das cirurgias nos dois joelhos no ano passado.

“Eu nem consigo acreditar nisso. Foi incrível ganhar uma nota 10 na final para vencer o campeonato”, disse Stephanie Gilmore. “Eu sabia que a Sally (Fitzgibbons) ficaria procurando os tubos, mas procurei manter o meu plano de jogo, para escolher as ondas certas e fazer o melhor possível nelas. No final, fiquei focando em tentar um high-score (nota alta) que não tinha conseguido o evento todo, então entrou aquela onda e apenas fechei meus olhos, segurei ao máximo lá dentro e saí do tubo. Foi realmente incrível ganhar um evento assim”.

Gilmore

Entre os homens, o japonês Kanoa Igarashi estava atacando as direitas de Keramas como ninguém no último dia, com muita velocidade na variação de manobras progressivas sempre executadas nos pontos mais críticos das ondas. Foi assim que ele liquidou os dois surfistas que tiraram a chance do Brasil tentar o bicampeonato no Corona Bali Protected, vencido pelo potiguar Italo Ferreira no ano passado.

O onze vezes campeão mundial só enfrentou surfistas que nem tinham nascido ainda quando ele conquistou seu primeiro título em 1992. Filipe Toledo era o grande favorito para vencer nas quartas de final, mas Kelly Slater surfou um tubo maior do que o dele para confirmar a vitória. Na semifinal, ele continuou procurando os tubos, só que Kanoa Igarashi pegou as maiores ondas para fazer grandes manobras e ganhar a segunda vaga na decisão do título.

A última vítima do japonês foi o francês Jeremy Flores, que tinha derrotado o cearense Michael Rodrigues com dois tubaços que receberam notas na casa dos 8 pontos. Mas, Kanoa Igarashi brilhou de novo e logo na segunda onda conseguiu uma nota 9,10. O francês também manobrou forte numa boa onda que valeu 8,93, porém o japonês confirmou sua primeira vitória da carreira no World Surf League Championship Tour com o 6,00 recebido na última onda que surfou, fechando o placar em 15,10 a 14,63 pontos.

Slater

“Foi uma honra fazer a final com o Jeremy (Flores) e essa semifinal com o Kelly (Slater) foi incrível. Eu só tentei fazer o meu melhor em todas as baterias e estou muito feliz por conseguir minha primeira vitória da carreira no CT, dessa forma como foi hoje (sábado) aqui”, disse Kanoa Igarashi, o primeiro japonês a vencer uma etapa da divisão de elite do esporte. “Não importa como estavam as condições do mar, eu só queria dar tudo de mim em cada onda, não importando quem estivesse enfrentando. Eu quase nem consigo encontrar palavras para descrever o que estou sentindo. Foi um dia incrível, inesquecível para mim certamente”.

Com a vitória, Kanoa Igarashi ganhou oito posições no ranking, tirando o segundo lugar do potiguar Italo Ferreira no Jeep Leaderboard, que continua liderado pelo havaiano John John Florence. Campeão no Corona Bali Protected no ano passado, Italo caiu para o terceiro lugar e Filipe Toledo permaneceu na quarta colocação. Derrotado na terceira fase, o bicampeão mundial Gabriel Medina despencou da quinta para a décima posição, enquanto o cearense Michael Rodrigues saltou da 23.a para a 14.a, com o terceiro lugar em sua primeira semifinal em etapas do CT.

O próximo desafio do World Surf League Championship Tour 2019 será no Margaret River Pro, que começa no dia 29 deste mês, com prazo até 9 de junho para ser encerrado na Austrália. Depois, os melhores surfistas do mundo vêm para o Brasil, para disputar o Oi Rio Pro em Saquarema nos dias 20 a 28 de junho. Os brasileiros vinham decidindo os títulos de todas as etapas desde a de Portugal no ano passado, incluindo as duas primeiras de 2019, com Italo Ferreira ganhando a primeira na Gold Coast e Filipe Toledo sendo vice-campeão em Bells. Mas, em Bali a bandeira brasileira ficou fora do pódio na primeira vitória do Japão no CT.

Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados das etapas masculina e feminina do Corona Bali Protected podem ser acessados nas páginas do evento no www.worldsurfleague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager

(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO CORONA BALI PROTECTED:

Campeão: Kanoa Igarashi (JPN) por 15,10 pontos (9,10+6,00) – US$ 100.000 e 10.000 pontos
Vice-campeão: Jeremy Flores (FRA) com 14,63 pontos (8,93+5,70) – US$ 55.000 e 7.800 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.085 pontos e US$ 30.000:

1.a: Jeremy Flores (FRA) 16.43 x 12.00 Michael Rodrigues (BRA)
2.a: Kanoa Igarashi (JPN) 15.07 x 13.84 Kelly Slater (EUA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 4.745 pontos e US$ 18.000:

1.a: Michael Rodrigues (BRA) 10.20 x 9.93 Wade Carmichael (AUS)
2.a: Jeremy Flores (FRA) 10.47 x 10.00 Kolohe Andino (EUA)
3.a: Kelly Slater (EUA) 12.30 x 10.53 Filipe Toledo (BRA)
4.a: Kanoa Igarashi (JPN) 11.17 x 10.10 Adrian Buchan (AUS)

FINAL FEMININA DO CORONA BALI PROTECTED:

Campeã: Stephanie Gilmore (AUS) por 16,83 pontos (10,0+6,83) – US$ 100.000 e 10.000 pontos
Vice-campeã: Sally Fitzgibbons (AUS) com 7,00 pontos (5,50+1,50) – US$ 55.000 e 7.800 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.085 pontos e US$ 30.000:

1.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 15.07 x 12.86 Brisa Hennessy (CRI)
2.a: Stephanie Gilmore (AUS) 11.74 x 7.80 Nikki Van Dijk (AUS)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 4.745 pontos e US$ 18.000:

1.a: Brisa Hennessy (CRI) 15.70 x 15.40 Carissa Moore (HAV)
2.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 13.60 x 12.90 Silvana Lima (BRA)
3.a: Stephanie Gilmore (AUS) 13.40 x 12.57 Courtney Conlogue (EUA)
4.a: Nikki Van Dijk (AUS) 11.77 x 11.66 Bronte Macaulay (AUS)

TOP-22 DO JEEP WSL LEADERBOARD – ranking das 3 etapas:

01: John John Florence (HAV) – 17.415 pontos
02: Kanoa Igarashi (JPN) – 16.640
03: Italo Ferreira (BRA) – 16.075
04: Filipe Toledo (BRA) – 15.865
05: Kolohe Andino (EUA) – 13.875
06: Jordy Smith (AFR) – 13.500
07: Jeremy Flores (FRA) – 12.450
08: Conner Coffin (EUA) – 11.385
09: Kelly Slater (EUA) – 11.095
10: Gabriel Medina (BRA) – 10.820
10: Wade Carmichael (AUS) – 10.820
12: Ryan Callinan (AUS) – 10.735
13: Seth Moniz (HAV) – 9.395
14: Michael Rodrigues (BRA) – 8.745
15: Owen Wright (AUS) – 7.970
15: Michel Bourez (TAH) – 7.970
15: Willian Cardoso (BRA) – 7.970
18: Adrian Buchan (AUS) – 7.405
19: Julian Wilson (AUS) – 5.980
19: Mikey Wright (AUS) – 5.980
19: Yago Dora (BRA) – 5.980
19: Peterson Crisanto (BRA) – 5.980
19: Deivid Silva (BRA) – 5.980

——–outros brasileiros:

26: Jessé Mendes (SP) – 4.915 pontos
31: Caio Ibelli (SP) – 2.925
31: Jadson André (RN) – 2.925
37: Mateus Herdy (SC) – 1.330
39: Adriano de Souza (SP) – 795
TOP-10 DO JEEP WSL LEADERBOARD – ranking das 3 etapas:

01: Stephanie Gilmore (AUS) – 19.490 pontos
02: Caroline Marks (EUA) – 18.695
03: Courtney Conlogue (EUA) – 17.355
04: Carissa Moore (HAV) – 17.290
05: Malia Manuel (HAV) – 16.495
06: Sally Fitzgibbons (AUS) – 14.780
07: Brisa Hennessy (CRI) – 13.440
08: Lakey Peterson (EUA) – 11.305
08: Nikki Van Dijk (AUS) – 11.305
10: Tatiana Weston-Webb (BRA) – 9.965
15: Silvana Lima (BRA) – 6.835

Link permanente para este artigo: http://www.floripasurfreport.com.br/?p=18969