Ramzi Boukhiam Vence Oi Hang Loose Pro 2020 Em Noronha


A final foi com Weslley Dantas que deixou seu irmão, Wiggolly, empatado em terceiro lugar com o defensor do título na Cacimba do Padre, Jadson André

Cacimba do Padre, Fernando de Noronha, PERNAMBUCO (Domingo, 16 de fevereiro) – O marroquino Ramzi Boukhiam é o novo campeão do Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest com status QS 5000 em Fernando de Noronha.

Ramzi Boukhiam, foto Smorigo

A vitória sobre o jovem paulista Weslley Dantas, foi apenas a quinta de um surfista estrangeiro em 15 anos do evento no arquipélago pernambucano. Ele surfou um tubaço na final, para faturar o prêmio máximo de 15.000 dólares e subir da 163.a para a segunda posição no ranking do WSL Qualifying Series, agora liderado por Wiggolly Dantas. Ramzi tinha barrado o defensor do título, Jadson André, que dividiu o terceiro lugar com Wiggolly, derrotado no duelo dos irmãos Dantas, também nas semifinais que abriram o domingo de Sol, muito calor e boas ondas na Cacimba do Padre.

“Há muito tempo que não ganho um campeonato importante assim, então estou muito feliz”, vibrou Ramzi Boukhiam. “Na verdade, eu só queria surfar meu melhor. Eu perdi um evento em casa e só queria vir para o Brasil competir aqui logo. O Jadson (André) e o Weslley (Dantas) são muito bons de aéreos e eu estava com medo disso. Mas, fiz meu trabalho com rasgadas fortes, fiz um tubão na final e estou muito feliz, muito mesmo”.

A última vitória do marroquino no Circuito Mundial da World Surf League tinha sido em 2018, no QS 1500 de Lacanau, na França. No ano passado, chegou a decidir o título no QS 3000 de Santa Cruz, em Portugal, mas perdeu a final para o português campeão do WSL Qualifying Series 2019, Frederico Morais. Ramzi terminou em 111.o lugar no ranking e agora já aparece em segundo na classificação geral das oito etapas completadas no Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha.

Ramzi Boukhiam, foto Smorigo

“Sei que é só o início do ano e quero estar no CT ano que vem, certeza”, afirmou Ramzi, que já está confirmado para representar Marrocos na estreia do surfe nas Olimpíadas de Tokyo 2020 no Japão. “Faz muito tempo que estou no QS, já errei muitas vezes, mas agora estou com a cabeça no lugar certo, com pranchas boas e acho que esse ano vai dar pra entrar”.

O marroquino já havia conseguido um bom resultado no Brasil, no evento que definiu o campeão mundial Pro Junior de 2013 da World Surf League na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC). Só que a final foi contra o fenômeno Gabriel Medina, que conquistou seu primeiro título mundial naquele ano e no ano seguinte se tornou o primeiro brasileiro a se sagrar campeão mundial no World Surf League Championship Tour.

Os dois entraram empolgados na grande final do 15.o Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha. Weslley por ter vencido o duelo caseiro com seu irmão, Wiggolly Dantas. E o marroquino por ter derrotado Jadson André, impedindo que o potiguar tentasse conquistar um bicampeonato que seria inédito na Cacimba do Padre. Ramzi conseguiu pegar as melhores ondas para vencer Weslley Dantas por 14,40 a 11,23 pontos, somando notas 7,67 num tubaço, com 6,73 em outra esquerda detonada com duas manobras potentes de frontside.

Wiggolly Dantas, foto Smorigo

“Eu só queria começar bem a bateria na final, porque não estava conseguindo fazer isso nas outras que disputei aqui”, continuou Ramzi. “Quando entrou aquela onda boa, ele estava do lado e optou em ir pra direita, então a esquerda veio pra mim e peguei um tubo bem longo até. Mas, eu sabia que tinha que fazer outra nota boa e torcer para ele não completar um aéreo gigante, como tentou. Tudo aconteceu a meu favor e estou muito feliz, obrigado”.

DECISÃO DO TÍTULO – Diferente de Ramzi Boukhiam, Weslley Dantas estava estreando na temporada e pela primeira competia em Fernando de Noronha. Ele abriu a bateria já arriscando um aéreo muito alto, sem completar a manobra. O marroquino também começou voando numa onda menor e completou o giro no ar, para largar na frente com nota 4,33. As séries estavam demorando a entrar e longas calmarias marcaram a grande final.

Os dois estavam lado a lado, quando entrou uma onda muito boa. Weslley escolheu ir para a direita e pegou um tubão de backside (de costas pra onda), enquanto Ramzi foi para a esquerda na mesma onda e o tubo foi mais longo e profundo, saindo limpo para receber nota 7,67, contra 5,83 do brasileiro. Weslley tenta outro aéreo muito alto e não completa de novo. Logo pega outra, um pouco menor, para mandar uma batida seguida por um aéreo rodando que acerta dessa vez, mas a nota sai 5,40 e ele precisava de 6,18 para ficar em primeiro.

Wesley Dantas, foto: Smorigo

Depois de mais uma calmaria, Ramzi acha uma esquerda lisinha há 15 minutos do fim, para usar a mesma fórmula que liquidou Jadson André nas semifinais, mandando duas pauladas muitos fortes de frontside que valeram 6,73, aumentando a vantagem para 8,57 pontos. Weslley ainda tentou outro aéreo, pegou um tubo que foi rápido e não conseguiu reverter o resultado até o fim da bateria. A vitória do marroquino acabou confirmada por 14,40 a 11,23 pontos e Weslley ficou com os 7.500 dólares do vice-campeonato. Ele estreia no QS 2020 em décimo lugar no ranking, que classifica dez surfistas para a elite da World Surf League.

“Estou bem, com a cabeça tranquila e feliz pelo resultado, porque essa é a primeira vez que venho a Noronha e já fiz final. Mas, está tudo no plano de Deus. É Ele quem comanda e se escolheu o segundo lugar pra mim, vou aceitar, levantar a cabeça e ir pra Austrália com tudo”, disse Weslley Dantas, que estava confiante na vitória.

Jadson Andre, foto: Smorigo

“Eu sei que só não ganhei o evento, porque não achei onda, mas tenho certeza que a vitória vai vir na hora certa. Nesse momento, não ligo pra ranking, se vou pra cima ou pra baixo em cada evento. O que manda pra mim é Sunset Beach (Havaí), onde acaba a temporada. Tem muitas etapas ainda até lá, então quero fazer um bom ano e tudo vai terminar na onda que eu amo, Sunset Beach, então vou ficar tranquilo. É meu primeiro evento aqui em Noronha e o segundo lugar também é gratificante, então estou muito feliz”.

DOIS IRMÃOS – Para chegar à final na sua estreia em Fernando de Noronha, Weslley venceu o duelo dos irmãos Dantas em frente ao Morro Dois Irmãos, na Cacimba do Padre. Ele já abriu a bateria num tubaço e Wiggolly também achou um muito bom logo no início da bateria. O do caçula valeu 7,00 e o do novo líder do WSL Qualifying Series recebeu 6,67. Depois, Weslley começou a voar em aéreos incríveis, pegou tubos e manobrou forte em mais quatro ondas, enquanto Wiggolly só teve mais uma chance de surfar e perdeu por 13,17 a 12,47 pontos.

“Foi um momento incrível surfar com meu irmão numa semifinal e ele conseguiu pegar duas ondas boas no começo. Eu peguei uma só, aí o mar parou, mas estou muito feliz porque já venci um evento esse ano e agora espero que ele vença esse aqui”, disse Wiggolly Dantas. “Nós dois estávamos surfando muito bem no evento, então fico feliz por ele, porque vem treinando muito duro. O ruim é que nós dois estamos sem patrocínio e as marcas têm que ver isso, que nós temos potencial e esse ano a gente vai entrar junto no CT, se Deus quiser”.

BI ADIADO – Na segunda semifinal, o marroquino Ramzi Boukhiam liquidou o defensor do título com fortes manobras, abrindo grandes leques de água nas esquerdas da Cacimba do Padre. As maiores notas saíram com o mesmo repertório, duas pancadas explosivas, que tiraram notas 7,50 e 8,23 dos juízes. Jadson tentou de tudo, arriscou os aéreos sem completar as manobras, pegou tubos que fecharam rápido, enfim, não deu nada certo para o potiguar e continua a escrita de nenhum surfista conseguir duas vitórias em 15 anos do Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha, completados neste domingo.

“As coisas não acontecem às vezes e o Ramzi (Boukhiam) entrou naquele ritmo que, toda onda boa que entrava, a prioridade (de escolha) estava com ele”, lamentou Jadson André. “Mas é isso, tem que aceitar a vontade de Deus e estou feliz com minha performance. Agora é acompanhar a final aí. Sou muito amigo do Ramzi e do Weslley também, mas sou brasileiro acima de tudo e vou ficar na torcida pelo Weslley”.

PRÓXIMAS ETAPAS – A torcida tanto do Jadson, como do Wiggolly, pela 11.a vitória brasileira em 15 anos do Hang Loose em Noronha, não deu certo. Agora, todas as atenções voltam-se para a Austrália, que vai sediar as próximas etapas importantes do WSL Qualifying Series 2020. A primeira é o QS 5000 Surfest Newcastle Pro, nos dias 02 a 08 de março em Newcastle, que foi vencido pelo brasileiro Alex Ribeiro no ano passado. A outra é o primeiro “Challenger” de 10.000 pontos do ano, o Sydney Surf Pro nos dias 09 a 14 do mesmo mês em Manly Beach. Na sequência, já tem outro “Challenger” na Nova Zelândia, de 16 a 22 de março em Piha Beach.

Com o resultado da oitava etapa, o Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest, os sul-americanos passaram a ocupar metade das vagas na lista dos top-10 do QS, que sobem para a elite do CT. Wiggolly Dantas assumiu a liderança do ranking em Fernando de Noronha, depois tem o peruano Lucca Mesinas em quarto lugar, outro integrante do “Inka Team”, Alonso Correa, em sétimo, o saquaremense João Chianca em nono e Weslley Dantas em décimo, com o catarinense Yago Dora também bem perto do G-10, em 13.o lugar.

O Elétron Energy apresenta Oi Hang Loose Pro Contest foi uma realização da World Surf League (WSL) com patrocínios da Oi e Elétron Energy, através da Lei de Incentivo ao Esporte, do Governo de Pernambuco, tendo como proponente o Instituto Incentiva, e da Hang Loose. Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados podem ser acessados na página do evento no www.worldsurfleague.com

———————————————————–

ELÉTRON ENERGY APRESENTA OI HANG LOOSE PRO CONTEST:

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA EM FERNANDO DE NORONHA:
Campeão: Ramzi Boukhiam (MAR) por 14,40 pontos (7,67+6,73) – US$ 15.000 e 5.000 pontos
Vice-campeão: Weslley Dantas (BRA) com 11,23 pts (5,83+5,40) – US$ 7.500 e 4.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 3.850 e 3.250 pontos:
1.a: Weslley Dantas (BRA) 13.17 x 12.47 Wiggolly Dantas (BRA)
2.a: Ramzi Boukhiam (MAR) 15.73 x 9.23 Jadson André (BRA)

TOP-10 DO WSL QUALIFYING SERIES – após 8 etapas:
01: Wiggolly Dantas (BRA) – 8.250 pontos
02: Ramzi Boukhiam (MAR) – 5.375
03: Shun Murakami (JPN) – 5.330
04: Lucca Mesinas (PER) – 5.250
04: Maxime Huscenot (FRA) – 5.250
06: Nat Young (EUA) – 5.000
07: Alonso Correa (PER) – 4.375
08: Keanu Asing (HAV) – 4.300
09: João Chianca (BRA) – 4.250
10: Weslley Dantas (BRA) – 4.000
——-próximos sul-americanos até 100:
13: Yago Dora (BRA) – 3.575 pontos
16: Jadson André (BRA) – 3.250
24: Thiago Camarão (BRA) – 2.750
27: Filipe Toledo (BRA) – 2.500
27: Samuel Pupo (BRA) – 2.500
27: Ian Gouveia (BRA) – 2.500
27: Leandro Usuña (ARG) – 2.500
36: Willian Cardoso (BRA) – 2.125
36: Renan Peres (BRA) – 2.125
40: Rafael Teixeira (BRA) – 2.050
45: Victor Bernardo (BRA) – 2.000
51: Jessé Mendes (BRA) – 1.750
51: Alejo Muniz (BRA) – 1.750
51: Leo Casal (BRA) – 1.750
51: Edgard Groggia (BRA) – 1.750
62: Cristobal de Col (PER) – 1.475
65: Robson Santos (BRA) – 1.375
78: Bino Lopes (BRA) – 1.250
84: Marcos Correa (BRA) – 1.000
84: Jeronimo Vargas (BRA) – 1.000
84: Madson Costa (BRA) – 1.000
84: Cauã Costa (BAR) – 1.000

———————————————————–

CAMPEÕES DO HANG LOOSE PRO CONTEST:
2020 – Ramzi Boukhiam (MAR) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2019 – Jadson André (RN) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2017 – Deivid Silva (SP) – Praia de Maresias, São Sebastião (SP)
2016 – Kanoa Igarashi (JPN) – Praia da Joaquina, Florianópolis (SC)
2012 – Miguel Pupo (SP) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2011 – Alejo Muniz (SC) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2010 – C. J. Hobgood (EUA) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2009 – Bruno Santos (RJ) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2009 – Kelly Slater (EUA) – Hang Loose Santa Catarina Pro CT em Imbituba (SC)
2008 – Raoni Monteiro (RJ) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2008 – Bede Durbidge (AUS) – Hang Loose Santa Catarina Pro CT em Imbituba (SC)
2007 – Aritz Aranburu (ESP) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2007 – Mick Fanning (AUS) – Hang Loose Santa Catarina Pro CT em Imbituba (SC)
2006 – Jean da Silva (SC) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2005 – Bobby Martinez (EUA) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2004 – Warwick Wright (AFR) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2003 – Neco Padaratz (SC) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2002 – Victor Ribas (RJ) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2001 – Fábio Silva (CE) – Cacimba e finais no Abras, Fernando de Noronha (PE)
2000 – Guilherme Herdy (RJ) – Cacimba do Padre, Fernando de Noronha (PE)
2000 – Crhistiano Spirro (BA) – Praia de Maresias, São Sebastião (SP)
1999 – Richard Lovett (AUS) – Baía de Maracaípe, Ipojuca (PE)
1999 – Peterson Rosa (PR) – Praia de Maresias, São Sebastião (SP)
1998 – Armando Daltro (BA) – Gaibú, Cabo de Santo Agostinho (PE)
1997 – Marcelo Nunes (RN) – Baía de Maracaípe, Ipojuca (PE)
1996 – Fábio Silva (CE) – Baía de Maracaípe, Ipojuca (PE)
1995 – Peterson Rosa (PR) – Praia das Pitangueiras, Guarujá (SP)
1994 – Matt Hoy (AUS) – Praia das Pitangueiras, Guarujá (SP)
1993 – Joey Jenkins (EUA) – Praia das Pitangueiras, Guarujá (SP)
1992 – Nicky Wood (AUS) – Praia das Pitangueiras, Guarujá (SP)
1991 – Nicky Wood (AUS) – Praia das Pitangueiras, Guarujá (SP)
1990 – Fábio Gouveia (PB) – Praia das Pitangueiras, Guarujá (SP)
1989 – Glen Winton (AUS) – Praia da Joaquina, Florianópolis (SC)
1988 – Tom Carroll (AUS) – Praia da Joaquina, Florianópolis (SC)
1987 – Tom Carroll (AUS) – Praia da Joaquina, Florianópolis (SC)
1986 – Dave Macaulay (AUS) – Praia da Joaquina, Florianópolis (SC)

Link permanente para este artigo: http://www.floripasurfreport.com.br/?p=24238