Grupo global de atletas pede que Olimpíadas sejam adiadas


Em comunicado divulgado neste domingo (22), a associação de esportistas olímpicos pressiona pela mudança de data da competição

Uma associação mundial que representa atletas olímpicos emitiu um comunicado neste domingo (22) pedindo ao Comitê Olímpico Internacional (COI) e ao Comitê Paralímpico Internacional (IPC) que as competições sejam adiadas até que a pandemia de coronavírus esteja sob controle. Segundo o documento divulgado, é importante colocar a segurança e o bem-estar dos esportistas como prioridade. “Enquanto o mundo se une para limitar a propagação do Covid-19, o COI e o IPC devem fazer o mesmo”, disse a nota.

No mesmo momento em que os continentes se juntam para diminuir a propagação da doença a pressão sobre o COI aumenta por uma definição sobre os Jogos Olímpicos. “É bizarro que o COI não tenha mostrado nenhuma liderança . Eles estão agindo como se fossem negócios, como sempre, e isso parece muito estranho”, disse Caradh O’Donovan, atleta de caratê e representante da Global Athlete. Irlandesa, a esportista está sem treinar nesse instante por causa das restrições em seu país.

Para O’Donovan, a desigualdade com relação aos níveis de treinamento, controle de doping e qualificação são suas principais preocupações. “Os atletas querem fazer parte de uma solução para garantir que os Jogos sejam um sucesso. Mas, sob as atuais restrições globais que limitam as reuniões públicas e o fechamento de instalações e fronteiras de treinamento, os atletas não têm a capacidade de se preparar adequadamente para esses Jogos, e sua saúde e segurança devem vir em primeiro lugar”, afirmou o Global Athlete.

Além de pressionar as entidades, o comunicado pede os demais envolvidos apoiem os atletas. “Por fim, pedimos que as emissoras (NBC) e os patrocinadores adotem o mesmo nível de cuidado com os atletas, apoiando o COI e o IPC com flexibilidade e compreensão durante esses períodos desconhecidos. A saúde pública dos envolvidos deve ser uma prioridade em relação aos eventos esportivos. Reconhecemos que os Jogos proporcionaram uma capacidade única de reunir países, por isso, que a espera é importante. Com envolvimento significativo dos atletas, os próximos Jogos poderão atuar como uma celebração, mostrando que fizemos nossa parte na superação da pandemia de Covid-19”, concluiu a nota.

Surf – Jogos Olímpicos – Tóquio 2020

Vinte Atletas buscarão as primeiras medalhas olímpicas da história do Surf em Tóquio. Desses, dez foram definidos por suas posições no circuito mundial de surf de 2019, onde estão os melhores do mundo. Os brasileiros Ítalo Ferreira e Gabriel Medina, além do americano John John Florence, são os únicos da lista olímpica masculina a deterem títulos mundiais até agora. Em quase todas as listas de apostas os três aparecem como principais postulantes as medalhas.

Os brasileiros Ítalo Ferreira, Gabriel Medina, Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima são os atletas classificados no surfe para a Olimpíada de Tóquio. As vagas foram conquistadas no Mundial de 2019.

Gabriel Medina (Photo by Kelly Cestari/WSL via Getty Images)

Cinco vagas ainda faltam ser preenchidas e todas elas estão em jogo em maio de 2020 durante o ISA Games a ser disputado em El Salvador. Leonardo Fioravanti, da Itália, Santiano Muniz, da Argentina, Rio Waida, da Indonésia, Israel Barona, do Equador e Michael February, da África do Sul, são os principais postulantes a carimbarem os passaportes olímpicos.

COI tomará decisão sobre Tóquio 2020 em quatro semanas.

A pressão internacional e a gravidade da situação da pandemia do coronavírus, foram decisivos para que o COI (Comitê Olímpico Internacional) resolvesse se mexer. Neste domingo (22), após uma reunião de emergência com os membros do Conselho Executivo da entidade, foi estabelecido um prazo de quatro semanas para definir um adiamento da Olimpíada de Tóquio.

Até o momento, a pandemia que já atinge 189 países em todo o planeta, com mais de 13 mil vítimas fatais.

Na reunião, ficou definido que não há a possibilidade de cancelamento dos Jogos. Esta situação, que só ocorreu durante as duas Guerras Mundiais, em 1916, 1940 e 1944, está descartada.

MUDANÇA DE ATITUDE

A cúpula do COI foi obrigada a tomar uma posição mais firme em razão das inúmeras manifestações nos últimos dias. Comitês olímpicos, entidades esportivas e atletas, todos defendendo o adiamento diante do aumento de casos de infecção pelo coronavírus nas últimas semanas.

Entre as vozes contrárias para que a Olimpíada ocorra este ano, destacam-se o COB (Comitê Olímpico do Brasil) e o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), que emitiram notas oficiais pedindo adiamento. Duas das mias importantes federações esportivas dos Estados Unidos, da natação ( USA Swimming) e do atletismo ( USA Track & Field) também solicitaram o adiamento ao Comitê Olímpico e Paralímpico do país (USOPC).

Neste final de semana, uma pesquisa por teleconferência feita com 300 atletas da delegação dos Estados Unidos apontou que 70% defendeu o adiamento.

Todo o calendário esportivo está suspenso em razão da pandemia. Além disso, normas severas de quarentena estão sendo aplicadas em diversos países, impedindo que os atletas nem consigam treinar.

Link permanente para este artigo: http://www.floripasurfreport.com.br/?p=24921

Deixe uma resposta