8 dicas de livros sobre surfe para enfrentar a quarentena


Quarentena não é férias. Então, partindo deste princípio e se você está ilhado em alguma selva de pedras, distante do mar, esse post é pra você.

Postado By origemsurf em mar 18, 2020
por Janaína Pedroso

Se por um lado não há registros de contaminação pelo coronavírus enquanto se está surfando, por outro a recomendação é evitar aglomerações. E já que parte das praias do nosso litoral fica infestada de gente, passar o dia em uma delas parece uma péssima ideia. A não ser que você esteja querendo testar os limites da sua saúde e a de seus familiares, como o presidente do Brasil.

Se você vive no litoral, provavelmente vai acabar surfando, mas lembre-se de evitar o crowd e aglomerações na praia. Não vá agir como se fosse um final de semana eterno, com o cooler cheio de breja e os brother’s todos amontoados no guarda-sol.

Por incrível que pareça, as cidades litorâneas, como Ubatuba por exemplo, têm recebido turistas desde o anúncio da necessidade de isolamento! Realmente, o brasileiro é um caso a ser estudado!

Ainda não há registros de surfistas contaminados no outside, mas de novo, se optar por ir surfar (tipo: vou num pé e volto no outro), todo cuidado é pouco, afinal uma pessoa contaminada pode transmitir a doença em um raio de até dois metros.

Seja positiv@

Pois bem, partindo do princípio de que enfrentaremos um bom período reclusos, no aconchego dos nossos lares, a dica é se abastecer de coisas boas!

E não falo de guloseimas! Aliás, não faça como eu que andei pensando em estocar comida! Ando com uma fome ridícula desde que engravidei, e para o meu desespero já engordei 10 quilos! Detalhe: estou no início do sexto mês de gestação!

Assim, o estoque a que me refiro é mais subjetivo. Preencha a mente com pensamentos otimistas, procure ler coisas leves e positivas. Porém, não deixe de acompanhar as notícias!

O equilíbrio, como sempre, é a chave para manter nossa sanidade mental neste momento de tantas incertezas.

Bom, já “falei” demais, vamos logo às dicas!

Começando pelas biografias: o maior astro do surfe nacional teve sua história contada por Tulio Brandão em “Gabriel Medina: a trajetória do primeiro campeão de surfe do Brasil” (Primeira Pessoa), que traz prefácio de Kelly Slater e foi fonte de pesquisa para a construção do roteiro de documentário lançado recentemente.

“Como se tornar um campeão” (Intrínseca), da jornalista Márcia Vieira, a obra conta a vida de Adriano de Souza, a começar pela infância pobre e conflitos familiares até a batalha pelo título mundial. A leitura é leve, fácil e muito envolvente! Se você procura inspiração com histórias de superação, este é seu livro!

Apesar de desatualizada, já que foi escrita em 2003, por Jason Borte, a biografia de Kelly Slater, “Pipe Dreams” (Editora Gaia), é um clássico e sempre será! Apresentado por Paulo Lima, o livro narra em quatorze partes, o fenômeno da Flórida, 11 vezes campeão mundial.

Agora, se você está prevendo o caos e acha que essa quarentena vai longe, a aposta é “Dias bárbaros – Uma vida no surfe” (Intrínseca). Vencedor do prêmio Pulitzer de biografia, o livro é a vida de William Finnegan, nos mínimos detalhes. Muito bem escrito, e rico em adjetivos, a obra é excelente para quem se interessa pelo período em que o Havaí foi tomado pelos norte-americanos, conflitos em função disso e muito mais. A paixão pelo esporte está em cada uma das 430 páginas do livro.

Para quem curte uma história de sucesso e empreendedorismo, e de quebra quer saber a origem das surf shop’s australianas, não dá pra perder “A história da Rip Curl” (Editora Gaia). Escrito por Tim Baker, com belíssima tradução de Luciano Burin, o livro esmiúça a vida dos fundadores de um dos maiores impérios do surfe, tratando-se de surfwear e afins.

“Carlos Burle, Profissão surfista” o título sintetiza com exatidão o que o leitor pode esperar do livro. O atleta, que dedicou a vida ao esporte, e ainda dedica, conta as passagens da vida com momentos inusitados, que incluem o hábito de ingerir a própria urina. Leitura obrigatória para os amantes do esporte.

“Blue Mind”, escrito pelo biólogo Wallace J. Nichols, e sem tradução para o português, é um mergulho literal sobre os benefícios de uma vida próxima ao oceano, à saúde humana. Ideal para treinar o inglês e se encantar ainda mais com as maravilhas da Natureza.

“Let my people go surfing” (WMF Martins Fontes), essa biografia é sem dúvida uma lição de vida e resistência. No português, o título “Lições de um empresário rebelde”, conta a trajetória de Yvon Chouinard, fundador da Patagonia, umas das maiores marcas no ramo de esportes de aventura. Atualmente, a Patagonia é considerada uma das empresas mais respeitadas, quando o assunto é compromisso ambiental. Inspiração pura!
Então é isso, boa quarentena e lembre-se: NÃO estamos em férias!

Link permanente para este artigo: http://www.floripasurfreport.com.br/?p=24927