Sul-americanos ficam nas oitavas de final do QS 6000 de Newcastle

Joel Parkinson winning his first heat at the Burton Automotive Pro at Surfest, Newcastle, Australia

Joel Parkinson winning his first heat at the Burton Automotive Pro at Surfest, Newcastle, Australia

By João Carvalho | 27 de fevereiro de 2016 | noticias

Nenhum surfista da América do Sul vai poder repetir a vitória do catarinense Alejo Muniz no ano passado no tradicional Surfest de Newcastle em homenagem ao tetracampeão mundial Mark Richards na Austrália. O uruguaio Marco Giorgi e os brasileiros Deivid Silva, Jessé Mendes e Hizunomê Bettero, perderam nas oitavas de final disputadas em boas ondas de 4-6 pés em Merewether Beach, ficando em nono lugar no QS 6000 Maitland and Port Stephens Toyota Pro. Eles marcaram 1.550 pontos no ranking do WSL Qualifying Series na primeira etapa importante do ano na batalha pelas dez vagas para a elite dos top-34 da World Surf League. Com 6.000 pontos em jogo, os classificados para o domingo vão brigar pelas primeiras posições na Austrália.

Girlsfinal9
O uruguaio Marco Giorgi chegou a assumir a ponta quando passou para as oitavas de final na sexta-feira, mas não achou boas ondas para mostrar o seu surfe de manobras potentes contra o australiano Matt Wilkinson, que venceu por 13,33 e 11,34 pontos. Com a derrota, o uruguaio que mora em Garopaba (SC), já foi ultrapassado por três surfistas no sábado, o australiano Connor O´Leary, que no confronto seguinte fez os recordes do dia (nota 9,57 e 17,57 pontos), o francês Joan Duru e o norte-americano Patrick Gudauskas, que assumiu a dianteira quando ganhou do brasileiro Jessé Mendes por incríveis 3 centésimos de diferença no placar encerrado em 11,87 a 11,84 pontos.

MacyCallaghan

Jessé surfou a melhor onda da bateria, que valeu nota 8,07, mas teve que computar 3,77 como segunda nota e Gudauskas levou a melhor somando 7,17 com 4,70. No duelo anterior, Hizunomê Bettero também só completou uma onda boa nos longos intervalos entre as séries em Merewether Beach e foi batido por 12,16 a 8,50 pontos pela novidade australiana na elite do CT, Ryan Callinan. Já Deivid Silva só foi em duas ondas durante toda a bateria com o havaiano Joshua Moniz, que pegou até um belo tubo para registrar o segundo maior placar das oitavas de final, 16,26 pontos, contra 9,33 do brasileiro.

Silvana-Lima-dia-23-Taggart-Pro-Foto-WSL-Benett-e1456370636304

O Maitland and Port Stephens Toyota Pro termina no domingo e na segunda-feira começa outra etapa do QS 6000 da perna australiana do WSL Qualifying Series, o Australian Open of Surfing de Sydney em Manly Beach. Na América do Sul, a primeira disputa por pontos no ranking qualificatório para a divisão de elite da World Surf League será no QS 1500 Rip Curl Pro Argentina, abrindo o calendário 2016 da WSL South America e a briga pelo título sul-americano nos dias 21 a 26 de março em Mar del Plata. Nos últimos anos, o vencedor dessa etapa tem se sagrado como campeão da temporada. Foi assim com Alex Ribeiro em 2014 e com Robson Santos em 2015.

AceBuchan_SPROULE-e1456382619197

QS 6000 FEMININO – O Surfest de Newcastle também está promovendo o primeiro QS 6000 do WSL Qualifying Series feminino esse ano e no sábado igualmente foram definidas as quartas de final que vão abrir o domingo decisivo do Taggart Women´s Pro em Merewheter Beach. Voltando de contusão, a pentacampeã mundial Stephanie Gilmore foi o destaque do dia entre as meninas e vai fazer um dos duelos de CT do último dia, contra a norte-americana Sage Erickson. As duas barraram a brasileira Silvana Lima na sexta-feira, deixando a cearense em 17.o lugar na sua estreia na temporada 2016.

Além de Silvana Lima, que no ano passado perdeu sua vaga no seleto grupo das top-17 que disputa o título mundial no Samsung Galaxy WSL Championship Tour, mais sete surfistas da América do Sul competiram na primeira etapa importante do ano. A equatoriana Dominic Barona perdeu na quarta fase e ficou em 37.o lugar no Taggart Women´s Pro. As peruanas Sofia Mulanovich e Melanie Giunta e a chilena Jessica Anderson, não passaram da segunda rodada e na primeira ficaram a brasileira Karol Ribeiro, a peruana Leilani Aguirre e a chilena Lorena Fica.

O QS 6000 Matiland and Port Stephens Toyota Pro e o QS 6000 Taggart Women´s Pro estão sendo transmitidos ao vivo de Newcastle, na Austrália, pelo www.worldsurfleague.com

Nenhum surfista da América do Sul vai poder repetir a vitória do catarinense Alejo Muniz no ano passado no tradicional Surfest de Newcastle em homenagem ao tetracampeão mundial Mark Richards na Austrália. O uruguaio Marco Giorgi e os brasileiros Deivid Silva, Jessé Mendes e Hizunomê Bettero, perderam nas oitavas de final disputadas em boas ondas de 4-6 pés em Merewether Beach, ficando em nono lugar no QS 6000 Maitland and Port Stephens Toyota Pro. Eles marcaram 1.550 pontos no ranking do WSL Qualifying Series na primeira etapa importante do ano na batalha pelas dez vagas para a elite dos top-34 da World Surf League. Com 6.000 pontos em jogo, os classificados para o domingo vão brigar pelas primeiras posições na Austrália

Link permanente para este artigo: http://www.floripasurfreport.com.br/?p=4579