Contagem regressiva para o início do Samsung Galaxy WSL Tour 2016

160307-desouza6244awards16kirstin_n (Copiar)

Bem-vindos ao 2016 Championship Tour

João Carvalho
Começa nesta quinta-feira na Austrália, noite de quarta-feira no fuso horário de Brasília, o prazo do Quiksilver Pro Gold Coast, que vai abrir a corrida pelo título mundial do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour 2016. É o Brasil iniciando a busca por dois tricampeonatos no primeiro desafio da temporada. Adriano de Souza vai competir com a lycra amarela de número 1 do Jeep Leaderboard na Gold Coast, assim como Gabriel Medina no ano passado. Medina iniciou a caminhada do primeiro título brasileiro na história do Circuito Mundial vencendo esta primeira etapa em 2014 e Filipe Toledo repetiu o feito em 2015, usando os aéreos como arma mortal para liquidar seus adversários com notas 10 nas direitas de Snapper Rocks. Um deles, o próprio Mineirinho na semifinal verde-amarela em plena abertura de temporada na Austrália.

A semana já começou positiva para o Brasil na noite de gala da World Surf League na Gold Coast. Foram seis premiados desfilando no tapete vermelho entre os destaques da última temporada, começando pelo campeão mundial Adriano de Souza, que centralizou todas as atenções. Também foram chamados para subir ao palco o campeão mundial Pro Junior, Lucas Silveira, Italo Ferreira como o estreante do ano no CT, Filipe Toledo como revelação da temporada e Gabriel Medina e Silvana Lima por terem feito a melhor manobra nas etapas do Samsung Galaxy WSL Championship Tour 2015. Além deles, outro representante da América do Sul foi anunciado para receber o seu segundo troféu de campeão mundial de Longboard, o peruano Piccolo Clemente.

PIccolo Clemente

PIccolo Clemente

“Eu só tenho que agradecer à minha família por estar vivendo este momento especial”, destacou Adriano de Souza, que começou a carreira no Guarujá com o apelido de Mineirinho, herdado do irmão mais velho, o Mineiro, que comprou sua primeira prancha. “Eu sei que não é fácil deixar o seu filho de apenas 12 anos de idade viajando sozinho pelo mundo atrás do seu sonho. Minha família me deu todo o apoio para eu ir em busca desse sonho e acredito que isso foi uma grande demonstração de amor”.

“É uma sensação incrível estar aqui hoje e muito especial por poder dedicar esse título ao meu bom amigo, Ricardo dos Santos (assassinado em frente à sua casa em janeiro de 2015 na Guarda do Embaú-SC)”, continuou Adriano de Souza. “Eu tenho essa tatuagem em memória dele. Ele tinha essa mesma tatuagem com as palavras ‘Força, Equilíbrio e Amor’. E isso era tudo o que eu precisava para ganhar esse título mundial. Dedico o título também ao meu irmão, que comprou a minha primeira prancha por sete dólares e agora estou aqui, no topo do mundo”.

RELAÇÃO DOS PREMIADOS NA NOITE DE GALA DA WSL NA GOLD COAST:

Campeão mundial da WSL: Adriano de Souza (BRA)
Campeã mundial da WSL: Carissa Moore (HAV)
Vice-campeão mundial: Mick Fanning (AUS)
Vice-campeã mundial: Courtney Conlogue (EUA)
Campeão mundial Big Waves: Greg Long (EUA)
Campeões mundiais de Longboard: Piccolo Clemente (PER) e Rachel Tilly (EUA)
Campeões mundiais Pro Junior: Lucas Silveira (BRA) e Isabella Nichols (AUS)
Estreantes do Ano no CT: Italo Ferreira (BRA) e Tatiana Weston-Webb (HAV)
Revelações do Ano: Filipe Toledo (BRA) e Courtney Conlogue (EUA)
Melhor Manobra do Ano: Gabriel Medina (BRA) e Silvana Lima (BRA)
Melhor Onda do Ano no CT: Owen Wright (AUS) e Carissa Moore (HAV)
Bateria do Ano no CT: Mick Fanning (AUS) x John John Florence (HAV) x Kelly Slater (EUA) em Banzai Pipeline e Carissa Moore (HAV) x Sally Fitzgibbons (AUS) em Honolua Bay

Carissa Moore

Carissa Moore

TEMPORADA 2016 – Adriano de Souza vai estrear com a lycra amarela de número 1 do Jeep Leaderboard em 2016 na sexta bateria do Quiksilver Pro Gold Coast, que já vai começar com um brasileiro disputando a primeira classificação direta para a terceira fase, o melhor estreante de 2015, Italo Ferreira. Depois tem duas baterias com participação dupla do Brasil. O defensor do título na etapa da Gold Coast, Filipe Toledo, entra na terceira junto com Jadson André. E Gabriel Medina na seguinte com Caio Ibelli, que se classificou para a elite dos top-34 em primeiro lugar no ranking do WSL Qualifying Series 2015.

Outro novato entre os dez integrantes da “seleção brasileira” esse ano é o também paulista Alex Ribeiro, que foi escalado para completar a nona bateria, do norte-americano Nat Young e do australiano Kai Otton. Depois tem mais dois brasileiros competindo juntos por uma vaga direta para a terceira fase, Miguel Pupo e Wiggolly Dantas, que se enfrentaram nas quartas de final do ano passado. Os dois estão na 11.a e penúltima bateria da primeira fase com o sul-africano Jordy Smith.

O Quiksilver Pro Gold Coast será realizado junto com a etapa de abertura do Samsung Galaxy WSL Women´s Championship Tour, o Roxy Pro Pro Gold Coast, entre os dias 10 e 21 de março em Snapper Rocks, com transmissão ao vivo da Austrália pelo www.worldsurfleague.com

Superbank

Superbank

RETROSPECTIVA 2015 – No ano passado, a temporada começou com os brasileiros dominando a “perna australiana”, que abre a batalha do título mundial da World Surf League. No Quiksilver Pro Gold Coast, foram três entre os quatro semifinalistas, isso porque teve um duelo verde-amarelo entre Miguel Pupo e o estreante no CT, Wiggolly Dantas, nas quartas de final. Pupo depois perdeu por pouco para o australiano Julian Wilson e Filipe Toledo usou os aéreos para ganhar outra bateria brasileira em Snapper Rocks, contra o agora campeão mundial, Adriano de Souza. Filipinho também completou voos incríveis para conquistar sua primeira vitória na divisão de elite com nota 10 na final com o australiano Julian Wilson.

O ano de 2015 já começou com um bicampeonato inédito do Brasil no Quiksilver Pro Gold Coast. O defensor do título, Gabriel Medina, acabou competindo numa hora ruim do mar e perdeu para o irlandês Glenn Hall na terceira fase. Mas, a “seleção brasileira” se destacou desde os primeiros dias nas direitas de Snapper Rocks. Esta mesma terceira fase foi iniciada com o estreante Italo Ferreira despachando o ídolo Kelly Slater. Depois, o outro novato na elite, Wiggolly Dantas, barrou outro campeão mundial e vencedor desta tradicional etapa, Joel Parkinson, para formar uma bateria brasileira com Miguel Pupo para definir a primeira vaga para as quartas de final na quarta fase.

Foi nesta rodada que aconteceu o primeiro empate de Adriano de Souza com Mick Fanning na Austrália. Ambos totalizaram 16,50 pontos e a vaga para as quartas de final ficou para o australiano no desempate da maior nota de cada um. Mineirinho depois passou por Matt Wilkinson na quinta fase e voltou a enfrentar Fanning, dessa vez derrotando-o nas quartas de final. Eles também se encontraram na decisão do título do Rip Curl Pro Bells Beach e novamente o resultado terminou empatado, em 15,27 pontos. Mais uma vez, Fanning tinha a maior nota para vencer e festejar o bicampeonato em Bells Beach, próxima parada do Samsung Galaxy WSL Championship Tour 2016, de 24 de março a 5 de abril na Austrália.

Filipe Toledo

Filipe Toledo

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A missão da Liga Mundial de Surf é simples: inspirar uma mudança positiva para o surf, nossos fãs, e para o meio ambiente. Anteriormente denominada Association of Surfing Professionals, a WSL tem promovido os principais campeonatos de surf desde 1976, decidindo os campeões mundiais no Samsung Galaxy WSL Championship Tour masculino e feminino, o Big Wave Tour, o Qualifying Series, o Junior, o Longboard e produzindo eventos como o WSL Big Wave Awards. A WSL possui um profundo apreço pelo passado do esporte, promovendo ao mesmo tempo o desenvolvimento, inovação e desempenho no mais alto nível. Nós colocamos os melhores surfistas do mundo nas melhores ondas do mundo.

Exibindo o melhor do surf em sua plataforma digital através da www.worldsurfleague.com, a WSL tem energizado sua legião de fãs apaixonados com milhões de novos fãs em todo o mundo, todos sintonizados para acompanhar as grandes estrelas do surf mundial, como Kelly Slater, Filipe Toledo, Gabriel Medina, Makua Rothman, Grant “Twiggy” Baker, Greg Long, Stephanie Gilmore, John John Florence, Carissa Moore, entre outros, competindo no ambiente mais dinâmico e imprevisível de todos os esportes.

PRIMEIRA FASE DO QUIKSILVER PRO GOLD COAST:

1.a: Italo Ferreira (BRA), Keanu Asing (HAV, Ryan Callinan (AUS)
2.a: Julian Wilson (AUS), Michel Bourez (TAH), Adam Melling (AUS)
3.a: Filipe Toledo (BRA), Jadson André (BRA), Stu Kennedy (AUS)
4.a: Gabriel Medina (BRA), Caio Ibelli (BRA), Sebastian Zietz (HAV)
5.a: Mick Fanning (AUS), Matt Banting (AUS), wildcard
6.a: Adriano de Souza (BRA), Kolohe Andino (EUA), wildcard
7.a: Jeremy Flores (FRA), Adrian Buchan (AUS), Davey Cathels (AUS)
8.a: Kelly Slater (EUA), Matt Wilkinson (AUS), Conner Coffin (EUA)
9.a: Nat Young (EUA), Kai Otton (AUS), Alex Ribeiro (BRA)
10: Josh Kerr (AUS), Taj Burrow (AUS), Kanoa Igarashi (EUA)
11: Jordy Smith (AFR), Wiggolly Dantas (BRA), Miguel Pupo (BRA)
12: Joel Parkinson (AUS), John John Florence

Link permanente para este artigo: http://www.floripasurfreport.com.br/?p=4612