Surfista foi quem interrompeu o ciberataque mundial a computadores


Jovem britânico que parou ciberataque é considerado um herói, mas ele acha que cumpriu somente com o seu dever.

fonte BBC

Enquanto um grande ataque de ransomware (sequestro de dados e arquivos) fazia na sexta-feira (12) 300 mil vítimas em pelo menos 150 países, um jovem de 22 anos, que mora na cidade britânica de Ilfracombe e trabalha para a empresa de segurança digital Kryptos Logic, com sede em Los Angeles (EUA), passava três dias analisando o caso, enfurnado em seu quarto.

Ele era um entre as centenas de especialistas que trabalharam durante o fim de semana para combater a ameaça. Mas foi Marcus Hutchins o responsável por barrar a propagação do malware.

Em entrevista à agência de notícias “AP”, ele disse que não gosta de ser chamado de “herói”, pois fez o que fez apenas porque era “a coisa certa a fazer”.
“Eu definitivamente não sou um herói”, disse. “Eu sou apenas alguém fazendo minha parte para parar os botnets.

O feito aconteceu “sem querer”. Ele analisava o código do vírus quando percebeu que o programa tentava contactar um endereço de internet incomum que não estava registrado. Então, gastou o equivalente a R$ 35 para comprar o endereço e conseguir analisar o comportamento do vírus. Mas, quando fez isso, a propagação do programa foi interrompida, como se um “botão de segurança” tivesse sido ativado, levando à sua autodestruição.

Profissionais como Hutchins, que atuam contra ameaças virtuais, usam apelidos para se proteger de ataques de retaliação e garantir privacidade. No Twitter, era conhecido como MalwareTech.

Em um post, demonstrou insatisfação com o fato de os jornais terem descoberto seu nome. “Sempre achei que eu seria exposto por pessoas que ficam em blogs de hacking [skids], mas parece que jornalistas são 100x melhores em expor pessoas”.

Agora, descoberto, lida com o fim do anonimato. Além dos jornalistas, ele já se encontrou com autoridades do FBI e da segurança cibernética britânica.

“Acho que nunca vou voltar para o [perfil] MalwareTech que todo mundo conhecia”, disse o jovem de cabelos crespos, sorrindo e encolhendo os ombros.

Por outro lado, a mãe de Hutchins, a enfermeira Janet, está curtindo o fim do anonimato. Ela contou que ficou orgulhosa e feliz pelo trabalho do filho. “Queria gritar, mas não podia”, disse ela.

O novo “herói” planeja agora tirar férias e surfar na Califórnia.

Link permanente para este artigo: http://www.floripasurfreport.com.br/?p=8143